Data: junio 3, 2013 | 20:06

Governo decreta situação de emergência em cinco cidades acreanas por conta da estiagem

Coordenadoria Estadual da Defesa Civil registrou poucas e irregulares chuvas em todo o Acre em abril.  | Foto: Arquivo Sol de Pando

Coordenadoria Estadual da Defesa Civil registrou poucas e irregulares chuvas em todo o Acre em abril. | Foto: Arquivo Sol de Pando

[do action=»firma»]Eduardo Gomes | Agência Notícias do Acre[/do]

O govenador Tião Viana decretou na última quarta-feira, 29, estado de emergência em cinco cidades acreanas em decorrência do baixo nível das águas do Rio Acre. São elas; Rio Branco, Xapuri, Epitaciolândia, Brasileia e Assis Brasil. A medida considerou o relatório apresentado pela Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec), que identificou poucas e irregulares chuvas em todo o Estado a partir do mês de abril. A portaria foi publicada na edição desta segunda-feira, 3, do Diário Oficial do Acre.

O relatório da situação volumétrica do Rio Acre realizado pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema) e pela Cedec, aponta drástica redução do volume de alguns reservatórios, ocasionada pela estiagem e pode provocar racionamento na distribuição de água potável nesses municípios. Essas cinco cidades têm como fonte de captação de água para tratamento e distribuição a bacia hidrográfica do Rio Acre. A população total desses municípios ultrapassa os 395 mil habitantes, dos quais 85% moram na capital.

O diretor do Departamento Estadual de Pavimentação e Saneamento (Depasa), Felismar Mesquita, afirmou que por enquanto nenhuma das cidades teve ou terá o abastecimento comprometido e que o órgão está trabalhando para manter a normalidade. “Essa situação com pouca incidência de chuvas nos obrigou a antecipar esse decreto. Em 2012 nós só o fizemos em agosto. Essas medidas tomadas em atenção ao decreto são emergenciais e visam garantir o abastecimento de água em sua totalidade. A capacidade de captação e distribuição está mantida”, garantiu.

A previsão é de que em 2013 o período de estiagem seja maior, por isso todos os esforços estão sendo feitos pelos órgãos competentes na tentativa de minimizar qualquer transtorno à população acreana. Os órgãos do Sistema Nacional de Defesa Civil (Sindec), sediados no Acre, ficam autorizados a auxiliar os municípios afetados, mediante prévia articulação com a Cedec.

 

coronavirus



sopa de mani



desastre total



Reporteros Sin Fronteras



CPJ



Knigth Center