Data: diciembre 20, 2014 | 23:50

Indígenas da etnia Huni Kuin do Acre reúnem fotografias para contar sua história

As imagens são fruto do acompanhamento de fotógrafos acreanos, que visitam constantemente a localidade. | Foto Sérgio Vale

As imagens são fruto do acompanhamento de fotógrafos acreanos. | Foto Sérgio Vale

© Karen Aiache | Agência Notícias do Acre
Pelos dados da Funasa, em 2010 o Estado do Acre abrigava 7.535 índios huni kuin. | Foto Diego Gurgel

Pelos dados da Funasa, em 2010 o Estado do Acre abrigava 7.535 índios huni kuin. | Foto Diego Gurgel

Os representantes da Aldeia Lago Lindo, da etnia indígena huni kuin, localizada às margens do Rio Tarauacá, em Jordão, estão reunindo imagens para lançar um livro e uma exposição fotográfica em 2015. O objetivo é contar a história, mostrar a realidade e os benefícios que têm chegado à localidade por meio do governo do Estado.

“Recebemos apoio para melhorar a estrutura e logística da nossa região. O objetivo desse material é mostrar nosso trabalho para o Acre e também no Senado Federal. Queremos agradecer pela dedicação e esforço para nos ajudar, pois este é o único governo que tem estratégias voltadas para os indígenas”, destaca o líder Banê Kaxinawá.

As imagens são fruto do acompanhamento de fotógrafos acreanos, que visitam constantemente a localidade.  “Fico lisonjeado em ter minhas fotos expostas por vontade dos indígenas. Mostra a familiaridade que tenho com eles, o respeito pela sua cultura. É uma honra poder mostrar toda a beleza desse povo”, explica Diego Gurgel, um dos fotógrafos selecionados.

Pelos dados da Funasa, em 2010 o Estado do Acre abrigava 7.535 índios huni kuin, que praticam agricultura familiar, utilizam conhecimento medicinal extraído da floresta e produzem artesanato como forma de desenvolvimento sustentável. A Aldeia Lago Lindo é cenário de quatro festivais indígenas durante o ano.

coronavirus



sopa de mani



desastre total



Reporteros Sin Fronteras



CPJ



Knigth Center