Data: noviembre 21, 2013 | 1:19

Governo investe R$ 460 mil em etnoturismo para o povo Huni Kui do Jordão

Governador e secretário de Turismo celebraram com o povo Huni Kui a entrega dos equipamentos de turismo para a aldeia. | Foto Sérgio Vale

Governador e secretário de Turismo celebraram com o povo Huni Kui a entrega dos equipamentos de turismo para a aldeia. | Foto Sérgio Vale

© Tatiana Campos | Agência de Notícias do Acre

Povo verdadeiro. É assim que o povo Huni Kui, etnia com mais de três mil indígenas no município de Jordão, se denomina. E nesta terça-feira, 18, a aldeia Lago Lindo recebeu, com honras, o governador Tião Viana e o secretário de Turismo, Leonildo Rosas, para a entrega de um investimento de R$ 460 mil para o fortalecimento do etnoturismo.

Foram construídos através da Secretaria de Turismo, um porto, uma cozinha com refeitório, alojamentos e um kupixawa. A aldeia recebe turistas de todo o mundo principalmente em junho, quando realiza um festival anual. Ao todo o investimento do governo do estado para incentivar o turismo étnico no estado é de R$ 1,3 milhão. Além da aldeia Lago Lindo, dos Huni Kui, também foram contempladas as aldeias Mutum e Nova Esperança, que também realizam festivais anuais e atraem turistas de muitos países.

“Temos aqui, no Mutum e na Nova Esperança investimentos do Governo do Estado demonstrando respeito à cultura, diversidade e tantas coisas lindas que eles têm pra mostrar: a relação de amor, amizade, de não-violência. Hoje nós estamos discutindo com eles a escola de ensino médio, o plantio de frutas, o peixe, água, criação de animais, tudo sem ferir a identidade dele. É um grande passo de união entre os povos”, disse o governador Tião Viana.

O prefeito do Jordão, Elcio Farias, lembra que o investimento foi feito na aldeia, mas beneficiou todo o município. “As pessoas, para se beneficiarem dessa obra, vão passar pela cidade e esse momento é importante para o povo Huni Kui, e também para todo o povo do Jordão. É uma estrutura que não vai servir apenas para os festivais, mas para o fortalecimento da cultura do povo”, disse.

Povo recebe equipe de governo com festa na aldeia Lago Lindo, que atrai turistas de vários países durante o festival que realiza. (Foto: Sérgio Vale)

Povo recebe equipe de governo com festa na aldeia Lago Lindo, que atrai turistas de vários países durante o festival que realiza.  | Foto Sérgio Vale

O secretário de Turismo, Leonildo Rosas, explica que a estrutura vai beneficiar o crescimento do turismo nas aldeias. “É um investimento que vem casado com a preocupação do governador Tião Viana de oferecer oportunidade de desenvolvimento econômico e social para as aldeias indígenas. O investimento aqui na Lago Lindo é de R$ 460 mil para o fortalecimento do etnoturismo, que é uma prática que vai valorizar a cultura do povo indígena e oferecer oportunidade para que as pessoas dos outros estados e países possam visitar nossas aldeias”.

A liderança Siãn Huni Kui acrescentou que toda a infraestrutura construída na aldeia não servirá apenas para o etnoturismo, mas para o dia a dia da aldeia. “Para a nossa espiritualidade, nossas reuniões, para receber as pessoas que nos visitam. O centro é uma unidade para nos reunirmos como nosso povo. É importante para nossa cultura. O povo Huni Kui tem um acervo importante, que não existe em outras regiões do Brasil. A organização da nossa comunidade como está agora é muito importante”, observou.

Turismo fortalece as aldeias

O povo Huni Kui do Jordão também vai receber uma escola para ensino médio, cuja ordem de serviço já foi assinada pelo governador Tião Viana e o secretário de Educação, Daniel Zen. O ensino nas aldeias respeita a cultura de cada etnia e as escolas são construídas segundo a cultura indígena. A produção também está entre os cuidados do governo do estado com os povos indígenas. Foram levados para a aldeia, de avião, dois casais de porcos e 15 patos. “É importante à criação de animais nas aldeias para a segurança alimentar o consumo de proteínas animais pelos indígenas, pois a caça nas aldeias está ficando cada vez mais rara”, explica o assessor para Assuntos Indígenas do Governo do Estado, Zezinho Kaxinawa.

Investimento em etnoturismo foi de R$ 460 mil na aldeia Lago Lindo. Aldeias Mutum e Nova Esperança também foram contempladas. (Fotos: Sérgio Vale)

Investimento em etnoturismo foi de R$ 460 mil na aldeia Lago Lindo. Aldeias Mutum e Nova Esperança também foram contempladas. | Fotos Sérgio Vale

“O governo do Estado e o governador Tião Viana tem cuidado dos povos indígenas, tem olhado para as nossas necessidades, nos ouvido e atendido, dentro das possibilidades, os nossos pedidos. Toda essa estrutura que está agora montada na aldeia foi o governo que fez para que a nossa cultura pudesse se desenvolver e nós pudéssemos receber os turistas com mais qualidade”, disse a liderança Banê Huni kui.

Banê explica que o turismo é importante nas aldeias não apenas pela questão financeira, mas pela possibilidade de compartilhar a cultura indígena – o que fortalece o povo – e pela troca de experiências espirituais. “Nós recebemos irmãos de todo o mundo, nossos amigos que vêm de vários países para fugir do estresse da cidade grande e aqui encontram a paz da floresta”, completou.

Veja o vídeo 

MAIS EM OLHA BRASILEIRA
coronavirus



sopa de mani



desastre total



Reporteros Sin Fronteras



CPJ



Knigth Center