Data: julio 23, 2014 | 7:26

“BR-364 é uma das maiores vergonhas para o povo do Acre”, diz Bocalom ao voltar do Juruá

Bocalom falou da péssima condição da BR 364 |Foto Veja de Tudo

Bocalom falou da péssima condição da BR 364 |Foto Veja de Tudo

Ao retornar a Rio Branco, depois de uma intensa agenda no Vale do Juruá, o candidato ao governo do Acre, Bocalom, deparou-se com uma BR 364 destruída. “Esta obra é uma das maiores vergonhas para o povo acreano. As pontes estão na iminência desabar, os buracos na maior parte dos trechos são um risco constante aos motoristas e a sinalização preventiva não existe. Os acostamento estão trazendo enormes transtornos aos que se aventuram numa viagem perigosa”, disse Bocalom.

“Além de inacabada, a péssima qualidade dos trechos considerados concluídos nos faz refletir sobre a transparência com que tanto dinheiro foi gasto”, questionou o candidato.

“Há alguns anos, os irmãos Viana, inclusive a então senadora Marina Silva, chamavam o ex-governador Orleir Cameli de ladrão porque ele estava fazendo o quilômetro de asfalto por R$ 400 mil. O ex-ministro dos Transportes, Eliseu Padilha, era chamado de Eliseu Quadrilha. Agora, essa mesma turma está pavimento o quilômetro de estrada por R$ 2 milhões”, afirmou. O candidato, professor de matemática, informou que a construção da rodovia já consumiu mais de R$ 1 bilhão.

“Esta é uma das maiores lavanderias de dinheiro do País. Se o governo petista for alvo da CPI das Obras Inacabadas, muita sujeira pode vir à tona. Ora, o Canal do Panamá, por exemplo, considerado uma das obras mais complexas do mundo, foi concluído em dez anos. Aqui no Acre, já são quase 16 anos de enrolação e desmandos e um discurso que não sai do papel, na tentativa de fazer o povo acreditar que a integração é uma realidade. Todos as irregularidades podem ser constatadas em pareceres do Tribunal de Contas da União, nas investigações da Polícia Federal e do Ministério Público Federal”, disse o candidato.

Bocalom incluiu no seu Plano de Governo o compromisso de concluir a BR-364, “com total transparência dos recursos executados e a executar”. Para ele, “o Estado do Amazonas tem estradas mais complexas que a BR 364. Lá, eles pagam em torno de R$ 1,5 milhão por quilômetro de rodovia. O Acre é um dos estados da Federação que mais se endividou, enquanto a qualidade de vida do nosso povo só pio ou”, concluiu Bocalom.

LINKS RELACIONADOS
coronavirus



sopa de mani



desastre total



Reporteros Sin Fronteras



CPJ



Knigth Center